Este site necessita de javascript activo.

A votação das propostas decorreu de 1 a 21 de Outubro. Consulte os votos obtidos por cada proposta nesta segunda fase.

1

Pesquisar Propostas Apresentadas

Por Número  
Por Designação
Área de Intervenção
 
Número de propostas apresentadas : 23

 
Viatura para transporte de doentes não urgentes
 82 AP Queijas
João Paulo Gomes

Proposta
Derivado a dificuldades do País e também vindo a ser refletido nas populações, e também em quem as serve neste caso os Bombeiros de Linda-a-Pastora, Queijas é uma vila que tem muita população envelhecida e necessitada, como por exemplo precisando de transporte para o Centro de Saúde, hemodiálise, fisioterapia, etc. Os Bombeiros de Linda-a-Pastora com a sua grande capacidade de acorrer a toda a gente, neste momento precisam de uma viatura para transporte de doentes não urgentes. Penso que neste orçamento poderá haver uma atenção para com este pedido.
Objectivos
Ver acima
Investimento Estimado 25000
Votos (Primeira Fase) 1
Votos (Segunda Fase) 907
Situação Em votação na segunda fase
Razão de Exclusão Proposta não excluída
PONTE PEDONAL NA TERRUGEM
 53 Internet
Fernando Jorge de Carvalho Lopes

Proposta
Como sabemos, a via-férrea e a marginal sendo infra-estruturas marcantes e indispensáveis ao desenvolvimento do nosso concelho, não deixam de significar uma barreira que separa o interland da zona ribeirinha. As populações do Vale da Terrugem e Alto do Lagoal apenas têm duas saídas pedestres para a marginal - por Caxias ou Paço de Arcos. É no contexto de uma aposta na mobilidade das pessoas e de uma vida activa para todos que apresentamos a proposta seguinte.
Propomos que seja lançada sobre a via férrea uma ponte pedestre, no local que os STCMO considerem mais adequado, a nosso ver não longe da rotunda da Av.Salvador Allende.
Objectivos
O objectivo será permitir que as populações que habitam entre Caxias e Paço de Arcos possam aceder facilmente à marginal, à praia do Lagoal e, no futuro, ao passeio marítimo que se encontra já projectado.
Investimento Estimado 1
Votos (Primeira Fase) 320
Votos (Segunda Fase) 875
Situação Em votação na segunda fase
Razão de Exclusão Proposta não excluída
Quinta Urbana/ Pedagógica
 57 Internet
Tiago Beirão Reis

Proposta
Implantação de um espaço vocacionado para a prática de agricultura urbana e simultaneamente de sensibilização ambiental – Quinta Urbana/ Pedagógica – apoiado institucionalmente pela C.M. Oeiras na fase de implantação e regulamentação, à semelhança de projectos similares criados noutros concelhos nacionais de cariz marcadamente urbano.
Em termos de manutenção e exploração sugere-se a intervenção da J.F. Linda a Velha, seja através de pessoas individuais, seja através de associações ou movimentos comunitários, num modelo de gestão a definir, mas que se pretende auto sustentável, numa óptica de contenção de custos e de optimização dos recursos.
O terreno em vista (com 2.2 ha) situa-se em Linda a Velha, no Alto de Sta Catarina. Pretende-se que possua as seguintes valências, obtidas através da organização do espaço: Horta Urbana - talhões vocacionados para a prática individual de agricultura, tendo como público-alvo o cidadão/ hortelão comum, que procura a obtenção de um rendimento extra, ou de uma actividade de lazer, ou como forma de combater o ócio; Horta Pedagógica - talhões explorados por estabelecimentos de ensino (públicos e/ou privados) e associações ligadas a estes, com o objectivo de providenciar uma oferta educativa que assume especial importância e relevância em crianças que nasceram e crescem em ambiente urbano. De referir que a actividade associada a estabelecimentos escolares tenderá a verificar-se sobretudo nos períodos correspondentes às interrupções lectivas (natal, carnaval, páscoa, férias de verão); Horta Comunitária: talhões de maior dimensão reservados para a pratica de culturas de forma extensiva (milho, cereais, batatas, etc.) tendo em vista a pratica de actividades de grupo organizadas com o objectivo de promover o convívio entre a população em geral, troca de experiências ou simplesmente para vivenciar tradições ligadas ao ambinete rural. A dinamização destes canteiros poderá ficar a cargo de organizações ou movimentos associativos.
Objectivos
Os objectivos que se pretendem atingir com esta proposta são:
a) aproveitamento e reabilitação de um terreno sem utilização envolvendo a comunidade local em prol de um objectivo comum, através de uma cidadania mais participativa;
b) valorização territorial através da criação de um espaço de fruição ambientalmente sustentável;
c) prevendo-se a exploração e frequência da quinta por pessoas dos vários grupos etários, pretende-se criar um espaço de encontro inter-geracional para troca de vivências e saberes;;
d) produção de bens para as família carenciadas, numa óptica de solidariedade;
e) espaço de pedagogia e sensibilização ambiental vocacionado para a população escolar;
f) providenciar uma actividade de lazer;
g) promover estilo de vida , comportamentos e hábitos de alimentação saudável;
h) promover modo de produção e cultivo biológicos e compostagem caseira;
Investimento Estimado 55000
Votos (Primeira Fase) 714
Votos (Segunda Fase) 846
Situação Em votação na segunda fase
Razão de Exclusão Proposta não excluída
TECTO-Abrigo de Emergência
 64 Internet
Deolinda Machado

Proposta
Assistindo-se a um aumento das situações de crise decorrentes de despejos, de violência doméstica e calamidades, como incêndios e inundações, e verificando-se a inexistência de um equipamento desta natureza em Oeiras, as pessoas que necessitam de abrigo imediato são encaminhadas para respostas existentes em alguns concelhos limítrofes, como sejam os de Lisboa e Sintra. Desta situação decorrem consideráveis desvantagens como a incerteza de vaga e o aumento das despesas de deslocação para atendimentos sociais, toma de refeições, idas à escola, etc. No sentido de colmatar esta lacuna, propõe-se a requalificação de uma casa no concelho de Oeiras que permita acolher pessoas em situação de emergência. O encaminhamento das pessoas será efectuado em colaboração com a Segurança Social, nomeadamente com a Linha de Emergência Social e entidades que com eles articulam.
O TECTO pretende ser um espaço onde a pessoa em situação de crise é apoiada de uma forma holística. Neste abrigo de emergência, proporcionar-se-á um espaço para viver temporariamente, com o fornecimento de refeições, acesso a lavandaria e a uma equipa multidisciplinar que disponibilizará apoio psicológico, social, médico, jurídico e na área do emprego, a quem dele necessite. Paralelamente, serão trabalhadas competências pessoais, sociais e profissionais através de formação..
A sustentabilidade do projecto basear-se-á num protocolo a estabelecer com a Segurança Social, com empresas privadas no âmbito da responsabilidade social e outras entidades.
Objectivos
O TECTO tem como principais objectivos prestar serviços de cuidados e acolhimento a pessoas em situações de vulnerabilidade com risco associado e/ou de grave exclusão social, numa perspectiva de inserção e autonomia, nomeadamente a: crianças e jovens em perigo; idosos em situação de abandono; pessoas vítimas de violência doméstica; pessoas em situação de sem-abrigo e pessoas em situações de crise emergente.
Sendo um projecto de abrangência concelhia, prevê-se que ao longo de um ano sejam abrangidas 100 pessoas.
Investimento Estimado 600000
Votos (Primeira Fase) 162
Votos (Segunda Fase) 286
Situação Em votação na segunda fase
Razão de Exclusão Proposta não excluída
Família 360 graus - Alto dos Barronhos
 78 AP Algés
Odete Mota Feliz

Proposta
Criação de uma equipa que permita o crescimento pessoal e social de crianças e jovens, o aprofundamento e desenvolvimento de competências da população sénior e o envolvimento da comunidade em geral e, simultaneamente, satisfazer necessidades identificadas pelas famílias. Para tal activaremos: 1. Serviço de babysitting social onde as famílias poderão deixar as crianças em local adequado em horários não convencionais. Neste espaço a vigilância será assegurada por técnicos auxiliares e seniores (estes desenvolvem as actividades em regime de voluntariado). 2. Ateliers para o desenvolvimento de competências e apoio escolar, onde se pretende promover o desenvolvimento de competências ao nível da saúde, higiene, nutrição, desporto e apoio escolar, promovido por seniores para as crianças e jovens e por jovens para os mais idosos. 3. Prestação de cuidados e apoio na vida quotidiana por parte dos jovens e adultos, em regime de voluntariado para os idosos, e 4. Fomentar um banco de voluntariado. A sustentabilidade basear-se-á na criação de uma cooperativa gerida pela comunidade civil. Em termos quantitativos, pretende-se abranger 1000 pessoas durante o 1º ano nomeadamente: 250 crianças e jovens nos ateliers; 250 crianças no serviço de babysitting social e 500 idosos.
Objectivos
Ver acima
Investimento Estimado 300000
Votos (Primeira Fase) 0
Votos (Segunda Fase) 270
Situação Em votação na segunda fase
Razão de Exclusão Proposta não excluída
Promoção do livro e da leitura
 121 AP Oeiras
Cláudia Fonseca

Proposta
Esta proposta consiste na realização de sessões de promoção do livro e da leitura, em todas as escolas de todos os Agrupamentos do concelho de Oeiras, envolvendo mediadores da leitura e contadores de histórias profissionais.
Objectivos
Ver acima
Investimento Estimado 
Votos (Primeira Fase) 0
Votos (Segunda Fase) 197
Situação Em votação na segunda fase
Razão de Exclusão Proposta não excluída
Ciclovia intra-Porto Salvo e Porto Salvo – Paço de Arcos para as deslocações pendulares
 101 AP Porto Salvo
Margarida Lança

Proposta
Objectivo: acesso às duas escolas de Porto Salvo (EB1 e EB 2/3/S) e acesso à estação de comboio de Paço de Arcos.
Objectivos
Ver acima
Investimento Estimado 
Votos (Primeira Fase) 0
Votos (Segunda Fase) 138
Situação Em votação na segunda fase
Razão de Exclusão Proposta não excluída
Hierarquia invertida nas ruas de Santo Amaro de Oeiras
 66 Internet
João Manso

Proposta
1. Devolver as ruas aos peões.
2. A inversão da hierarquia consiste em prioridade absoluta aos peões, seguidos de meios suaves (bicicletas) e por fim o automóvel.
3. Veículos automóveis só para acesso a residências, visitantes e estabelecimentos comerciais.
4. Implica separar o trânsito automóvel de passagem, eliminando a possibilidade de atravessar a zona em trajectos que aí não iniciem ou terminem.
5. Criar uma zona mista residencial/comércio em ambiente shared space (espaço partilhado). Carros podem entrar, mas deverão circular apenas o suficiente para estacionar. Todos nós somos peões e os automobilistas somos nós.
6. Envolver a comunidade no planeamento e execução, ouvindo todos os actores: residentes, comerciantes, trabalhadores, turistas.
7. Projectos com características semelhantes já realizados em algumas zonas da Europa podem ser usados como ponto de partida.
8. O investimento é extremamente variável, podendo apenas consistir em sinais de informação e campanha de comunicação.
9. Preferencialmente, as ruas poderão ser niveladas, colocando piso que garanta o usufruto por todos os transeuntes. Em vez de passeio/estacionamento/estrada/estacionamento/passeio será simplesmente rua.
10. Os carros estacionam encostados aos muros onde não impeçam acesso a habitações e comércio.
Objectivos
1. O maior impacto será o incremento radical da qualidade de vida de todos os que usufruem do espaço, retirando qualquer stress nas deslocações pedestres.
2. Cadeiras de rodas, crianças, seniores com o seu espaço garantido nas ruas que todos os dias usamos.
3. Os peões deixam de ficar relegados a passeios desadequados e passadeiras insuficientes. Passam a usufruir de ruas largas.
4. A posteriori, esta semente poderá alastrar-se a outras zonas em Oeiras.
5. Segurança acrescida para todos os transeuntes.
6. Melhoria na qualidade do ar local.
7. Respirar aldeia em ambiente urbano.
8. Oeiras Respira... melhor!
Investimento Estimado 5000
Votos (Primeira Fase) 133
Votos (Segunda Fase) 100
Situação Em votação na segunda fase
Razão de Exclusão Proposta não excluída
Recuperação / reabilitação do vale da Quinta da Terrugem
 144 AP Oeiras
Nuno João Correia

Proposta
Pressupõe a recuperação do espaço público do vale da Quinta da Terrugem para utilização por famílias e essencialmente crianças, de modo a possibilitar uma zona de conforto e lazer para estas. Criação de zonas com várias atividades e passatempos.
Objectivos
Ver acima
Investimento Estimado 
Votos (Primeira Fase) 0
Votos (Segunda Fase) 90
Situação Em votação na segunda fase
Razão de Exclusão Proposta não excluída
Ginásio ao ar livre em Nova Oeiras
 125 AP Oeiras
Luís Pinheiro Liberal

Proposta
Colocação de equipamento de exercício físico (5/6 aparelhos) em parte do percurso pedonal da raqueta central da Al. Conde de Oeiras
Objectivos
Ver acima
Investimento Estimado 
Votos (Primeira Fase) 0
Votos (Segunda Fase) 86
Situação Em votação na segunda fase
Razão de Exclusão Proposta não excluída
Instalação de painéis fotovoltaicos em edifícios municipais / sociais
 114 AP Carnaxide
Jorge de Vilhena

Proposta
A presente proposta tem como objetivo a instalação de painéis fotovoltaicos nos edifícios municipais, como forma de contribuir para a proteção ambiental, redução dos consumos energéticos e promover um desenvolvimento sustentável. Numa primeira fase a aposta deveria contemplar os edifícios com área superior a 200 m2, que tenham um conteúdo funcional social e de serviço público, nomeadamente os edifícios centrais do Município, Juntas de Freguesia, bibliotecas e Auditórios Municipais.
Objectivos
Ver acima
Investimento Estimado 
Votos (Primeira Fase) 0
Votos (Segunda Fase) 60
Situação Em votação na segunda fase
Razão de Exclusão Proposta não excluída
Colocação de lombas / passadeiras na Rua das Portelas
 95 AP Porto Salvo
Rosa Maria Pereira / António Serôdio

Proposta
Colocação de lombas ou de bandas que contribuam para a diminuição da velocidade dos automóveis na Rua das Portelas, em Porto Salvo, e de passadeiras para a travessia dos peões. Uma vez que, desde que temos o Taguspark e o Lagoas Park na nossa freguesia, vimos um aumento de volume de tráfego nesta rua, onde há passagem de autocarros e ser uma via de dois sentidos, com a inauguração da Escola do Ensino Básico, assistimos também à passagem de várias crianças, a pé por estas vias bastante frequentadas por automobilistas em excesso de velocidade, e onde em algumas zonas não existe passeio e iluminação, onde se torna difícil a passagem. 2. As lombas ou bandas e as referidas passagens de peões, seriam colocadas de modo a cortar velocidade, e onde os peões pudessem atravessar livres de perigo.
Objectivos
Ver acima
Investimento Estimado 
Votos (Primeira Fase) 0
Votos (Segunda Fase) 52
Situação Em votação na segunda fase
Razão de Exclusão Proposta não excluída
Colocação de lombas na Rua da Eira e na Rua Dr. Mário Charrua no Alto de Algés
 18 Internet
Jorge Janeiro

Proposta
Proposta:

1. Colocação de lombas ou de bandas que contribuam para a diminuição da velocidade dos automóveis na Rua da Eira, na Rua Quinta de Santa Marta e na Rua Dr. Mário Charrua, no Alto de Algés, uma vez que, desde a inauguração da Escola do Ensino Básico, se assiste à passagem de dezenas de crianças, muitas vezes não acompanhadas, a pé por estas vias bastante frequentadas por automobilistas em excesso de velocidade.

2. As lombas ou bandas seriam colocadas junto às passadeiras que se situam no fim do viaduto do Almarjão, bem como nas três saídas e entradas da rotuda onde está a farmácia e algures na ligação entre a rua Sofia de Carvalho e a Rua da Eira, uma vez que está previsto criar um Centro Cultural nas instalações da antiga escola de Algés de Cima, o que irá originar bastante afluência. Seriam também colocadas lombas junto à passadeira situada perto do parque infantil na Rua Dr. Mário Charrua.
Objectivos
O objetivo é evitar acidentes com consequências fatais ou muito graves para as crianças e outros peões.
Investimento Estimado 7000
Votos (Primeira Fase) 173
Votos (Segunda Fase) 47
Situação Em votação na segunda fase
Razão de Exclusão Proposta não excluída
Recuperação de casas de origem saloia de Oeiras
 105 AP Carnaxide
Fernando Jorge de Carvalho Lopes

Proposta
Aproveitar o trabalho já efetuado por investigadores locais, e desenvolver um levantamento e inventariação da arquitetura popular (saloia) do Concelho de Oeiras; promover, no imediato, uma iniciativa local que vise a salvaguarda do imóvel (degradado) ainda não rebocado a cimento (destino recente de uma casa contígua) situado na rua Sete Chaves, Terrugem de Cima, freguesia de Paço de Arcos. Com uma tipologia característica, esta “casa torreada”, de quatro águas, com telha de meia cana, beiral duplo e sanqueado corresponderá ao modelo mais antigo e tradicional.
Objectivos
Ver acima
Investimento Estimado 
Votos (Primeira Fase) 0
Votos (Segunda Fase) 46
Situação Em votação na segunda fase
Razão de Exclusão Proposta não excluída
Extensão do Centro de Saúde em Queijas
 80 AP Queijas
Levy Nunes Gomes

Proposta
Extensão do Centro de Saúde em Queijas
Objectivos
Ver acima
Investimento Estimado 
Votos (Primeira Fase) 0
Votos (Segunda Fase) 42
Situação Em votação na segunda fase
Razão de Exclusão Proposta não excluída
Sistemas Hidráulicos do concelho – aquedutos, fontes, minas e chafarizes
 85 AP Queijas
Fernando Jorge de Carvalho Lopes

Proposta
Atualização do levantamento dos “sistemas hidráulicos antigos” já efetuado pela CMO e sua divulgação pública referenciando-se o seu estado e possibilidade de recuperação; a implementação de um caso piloto: a saber recuperação, por fases, do “sistema de encanamento de Água do Almoxarifado de Caxias” – planta de 1901, para futuro regadio da Qt. Real de Caxias ou, em alternativa a recuperação, e melhor aproveitamento do sistema hidráulico da Quinta da Flor da Murta na Terrugem.
Objectivos
Ver acima
Investimento Estimado 
Votos (Primeira Fase) 0
Votos (Segunda Fase) 38
Situação Em votação na segunda fase
Razão de Exclusão Proposta não excluída
Passeio Estrada da Torre
 96 AP Porto Salvo
Alzira Ferreira

Proposta
Criar um passeio na Estrada da Torre (junto à NATO). Especialmente na época balnear existe muito tráfego, as pessoas não têm espaço para se abrigar dos carros que passam por vezes em grande velocidade.
Objectivos
Ver acima
Investimento Estimado 
Votos (Primeira Fase) 0
Votos (Segunda Fase) 32
Situação Em votação na segunda fase
Razão de Exclusão Proposta não excluída
Centro Cultural e Desportivo do Alto dos Barronhos
 115 AP Carnaxide
Odete Mota Feliz

Proposta
Espaço para desenvolvimento de atividades culturais (da música às artes, do cinema ao teatro, etc.) e desportivas (futebol, basquetebol, andebol, zumba, ginástica, pilates, etc.) para todas as faixas etárias. A inovação desta proposta consiste no facto da gestão do centro ser efetuada por munícipes que em grupos apresentam programas anuais. O programa mais votado será o implementado. Ou seja, a gestão será entregue à comunidade e, em parceria com a associação de moradores e associações locais. À CMO será solicitado o apoio para a criação do espaço. Os equipamentos serão solicitados ao Banco de Bens Doados e às empresas locais. A frequência de atividades será sujeita a um pagamento simbólico de €5 a €10 por mês, que permitirá pagar as despesas correntes. Esta proposta pretende abranger, no mínimo, 2000 pessoas. As atividades serão desenvolvidas em regime de voluntariado, à imagem dos ateliers das Universidades da Terceira Idade.
Objectivos
Ver acima
Investimento Estimado 50000
Votos (Primeira Fase) 0
Votos (Segunda Fase) 32
Situação Em votação na segunda fase
Razão de Exclusão Proposta não excluída
Requalificação da Rua Actor António Pinheiro
 98 AP Porto Salvo
Alice Maria Cerdeira Garcia

Proposta
Criação de passeios para criação de condições de circulação dos transeuntes na Rua Actor António Pinheiro, em Vila Fria (freguesia de Porto Salvo), com alargamento da artéria na zona de cruzamento com a Rua Artur Semedo (com expropriação de parcela de terreno existente no local)
Objectivos
Ver acima
Investimento Estimado 
Votos (Primeira Fase) 0
Votos (Segunda Fase) 23
Situação Em votação na segunda fase
Razão de Exclusão Proposta não excluída
Bebedouros no Bairro Alto dos Barronhos
 118 AP Carnaxide
Paula Renata da Costa Almeida

Proposta
Colocação de bebedouros no Bairro Alto dos Barronhos, visto não existir nenhum junto do parque infantil do Bairro. Tendo / obrigando as crianças a terem que abandonar o recinto infantil para beberem água num espaço comercial ou mesmo em suas habitações (mas que nem sempre é possível a concretização com sucesso, por não estar nenhum adulto em casa). Desta forma, principalmente nos períodos das férias, é insuportável laborar no Bairro com as crianças estarem constantemente a bater à nossa porta para pedir água. E sendo Oeiras um concelho com água tão boa seria positivo apostar nos bebedouros para se aproveitar a água do concelho e satisfazer uma necessidade básica, as nossas crianças! Um bebedouro junto do Parque Infantil e outro no meio do Bairro Alto dos Barronhos, ou seja, perfazia 2 bebedouros.
Objectivos
Ver acima
Investimento Estimado 
Votos (Primeira Fase) 0
Votos (Segunda Fase) 19
Situação Em votação na segunda fase
Razão de Exclusão Proposta não excluída
Parque Infantil no centro de Queijas
 91 AP Queijas
Elisabete Abreu

Proposta
Construir um parque infantil no centro de Queijas junto ao jardim Cesário Verde ou junto do Mercado Municipal
Objectivos
Ver acima
Investimento Estimado 
Votos (Primeira Fase) 0
Votos (Segunda Fase) 13
Situação Em votação na segunda fase
Razão de Exclusão Proposta não excluída
Vidas à solta...
 134 AP Oeiras
Maria Conceição Alves Correia Costa

Proposta
Recolha e divulgação / publicação de estórias da população estrangeira natural e residente em Oeiras, vulgo imigrantes.
Objectivos
Ver acima
Investimento Estimado 5500
Votos (Primeira Fase) 0
Votos (Segunda Fase) 5
Situação Em votação na segunda fase
Razão de Exclusão Proposta não excluída
Projecto de intervenção Psicossocial
 103 AP Porto Salvo
Ana Teresa Ferreira de Carvalho

Proposta
Apoiar o projeto de intervenção psicossocial que procura disponibilizar uma equipa de trabalho multidisciplinar, composta por profissionais nas áreas como a psicologia, serviço social …, com objetivo de apoiar as instituições locais de solidariedade social (IPSS, CPCJ, Escolas…). Trata-se de uma metodologia flexível, a equipa poderá apoiar várias instituições. A Câmara poderá apoiar financeiramente e envolvendo as empresas do concelho ao nível da responsabilidade social. Deste modo o financiamento poderá ser também por parte das empresas.
Objectivos
Ver acima
Investimento Estimado 
Votos (Primeira Fase) 0
Votos (Segunda Fase) 4
Situação Em votação na segunda fase
Razão de Exclusão Proposta não excluída